terça-feira, 12 de maio de 2009

Fazer a diferença


Ontem, quando jantava com meu primo, ele me disse algo que realmente me fez refletir:
"Eu gostaria de fazer a diferença, mas tenho medo do que os outros vão pensar."

Bom, é claro que para muitos isso parece um tanto quanto óbvio, pois é quase natural do ser humano tentar fazer a diferença, seja como for.
No entanto, nos preocupamos instintivamente com o que os outros irão pensar. Afinal, somos vítimas de olhares minuciosos todos os dias e não temos como escapar.
Quando percebemos, lá estamos nós, na "boca do povo".

Mas, afinal, o que seria fazer a diferença?
Para muitos fazer a diferença tem que ter gosto de grandiosidade.
Realizar grandes ações para um número ilimitado de pessoas.
Um grande feito que marque a história.
Algo que não se possa medir, mas que todos possam sentir.

Para outros, fazer a diferença não necessita ser obrigatoriamente algo magnífico que fique marcado para milhares de pessoas.
Fazer a diferença pode ser, simplesmente, dar um sorriso àquela pessoa que quase sente dor ao mexer a mandíbula de tanto tempo que ela está parada.
E de fato, é dessa forma que eu quero fazer a diferença.
Pequenas ações, sem precisar ir muito além.
Quero passar pela vida das pessoas, mesmo que sejam poucas, e deixá-las um pouco melhores.
Seja com um sorriso, uma flor, um abraço, uma palavra (ou, quem sabe, milhares delas).

Poderia citar dezenas de pessoas que deixaram sua marca ao longo da minha curta, porém muito experiente vida. Mas vou citar aquela que mais me marcou até hoje. Eu nem sequer sei o nome dela, mas quando eu estava em prantos ela veio, sentou ao meu lado e disse: precisa de ajuda? (sorrindo).
E eu respondi: não, obrigada. (sorrindo também).



Prazer, eu sou Gabriele Schillo.
Bem-vindo ao meu blog.

5 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom, a realidade se faz presente em suas palavras.
Escreve muito bem, não deveria para de fazer isso...

Bjo

Gabrieli disse...

Belíssimo texto Gabriele. Suas palavras tem o poder de contagiar qualquer leitor. Quando li seu primeiro texto, me coloquei em algumas situações das quais grifo como as mais importantes, uma delas, deixar um pouquinho de nós em cada pessoa que passar em nossa vida. Lindo! É muito bom ler textos como o seu, pois assim, passamos a ver a vida de um ângulo diferente, uma bela receita para saciar a nossa fome de ternura e amor às coisas próximas de nós! Parabéns... Um grande beijo, da sua amiga.

Adriano disse...

Prazer! E eu sou Adriano Mohr Bonatto!
Muito profundo o seu texto. Eu comecei a viajar na maionese com mais operadores aritméticos, algo sobre fazer a diferença somando amizades dividindo tristezas e multiplicado as experiências, buscando a raíz dos problemas para elevar as soluções... Que podre que ficou esse meu texto. Mas pelo menos serve como referência pra você ver que escreve muito bem!!
aUwhAUWhuAwhuAHwuhAW
Beijo

Fran disse...

Gaby... seu texto diz tudo..... agr é só refletir...
suas palavras sãomto bonitas e bem colocadas.... PArabens... vc escreve mto bem!!
como o Gah disse... nao deveria para de fazer isso!!...
beeijos!! Fran

Gaby Schillo disse...

huisahiudhsaiuhdiuashd

Valeu Adriano!
Mas teu texto não ficou podre não...
Vou te contar um segredo...
Tenho um texto pronto na minha pasta de documentos no meu computador falando exatamente disso...
sdhuisahiud
engraçado neh?
Se a vida fosse como a matemática..
Somar amizades, diminuir tristezas..

Daqui alguuns dias eu vou postar ele pra vc ver!

Beijos amigo!