segunda-feira, 15 de abril de 2013

Desabafo.



De repente é tarde demais pra tudo.
Pra qualquer sorriso ou troca de palavras.
Pra qualquer abraço cheio de saudade, pra qualquer tentativa de dizer que não era pra ser assim.
É tarde pra deixar as horas se perderem em longas conversas, é tarde pra deixar a esperança reacender.
É tão tarde que nem sei até que ponto vale a pena escrever sobre aquilo que foi, sobre o que poderia ter sido e sobre o que é.
É tarde pra se arrepender de qualquer coisa ou pra se reaprender a esperar.
É tarde pra dizer que o emaranhado de confusão, que a tormenta da maré já tinha passado. Aliás, passou há tão pouco tempo que mal deu tempo de dizer tudo que queria que a garganta dissesse ou que os olhos confidenciassem. 
É tarde demais pra ficar lembrando e rindo sozinha daquelas coisas que apertam o peito de saudade.
É tarde no meu tempo, nas minhas marcas, nas minhas lembranças.
O problema é que eu nunca pensei que o tarde se tornaria tão rápido tarde demais.

3 comentários:

Anônimo disse...

Não é tarde, Gaby. Não é tarde... não é tarde.

Gabriele Schillo disse...

Anônimo, e como é tarde!

Anônimo disse...

Minha negrinha, não é tarde, as coisas tinham que ser assim e voce é que vai fazer a diferença, o teu tempo é precioso, voce é preciosa. O sol nasce todos os dias para todos, deixe ele brilhar para você. Um beijo.